> Institucional <

 
O Programa de Doutorado em Educação em Ciências e Matemática - PPGECEM- é destinado à formação de pesquisadores na área, oferecido por uma Associação em Rede (AR) de Instituições de Ensino Superior da Amazônia Legal Brasileira, intitulada Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática - REAMEC. As instituições que compõem a Rede, designadas Instituições associadas, são:
 
1. Universidade Federal do Acre - UFAC
2. Universidade Federal do Amapá – UNIFAP
3. Universidade Federal do Amazonas – UFAM
4. Universidade Federal do Maranhão – UFMA
5. Universidade Federal de Mato Grosso – UFMT
6. Universidade Federal do Oeste do Pará – UFOPA
7. Universidade Federal do Pará – UFPA
8. Universidade Federal de Roraima – UFRR
9. Universidade Federal do Tocantins- UFT
10. Universidade do Estado do Amazonas – UEA
11. Universidade do Estado de Mato Grosso – UNEMAT
12. Universidade Estadual do Maranhão – UEMA
13. Universidade do Estado do Pará – UEPA
14. Universidade Estadual de Roraima – UERR
15. Universidade do Estado do Amapá- UEAP
16. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Acre – IFAC
17. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amapá – IFAP
18. Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia do Amazonas – IFAM
19. Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia do Maranhão – IFMA
20. Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia de Mato Grosso – IFMT
21. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará – IFPA
22. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia – IFRO
23. Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia de Roraima - IFRR
24. Centro Universitário Nilton Lins – UNINILTON /AM
25. Universidade da Amazônia – UNAMA
26. Universidade CEUMA - Maranhão 
 
 
ESTRUTURA DE ORGANIZAÇÃO DA REDE
 
O Programa de Doutorado ora proposto está inserido no âmbito da REDE AMAZÔNICA DE ENSINO DE CIÊNCIAS – REAMEC. É uma associação em rede, formada por: 19 IES com 19 representantes institucionais; nove Estados com nove coordenadores estaduais; quatro pólos acadêmicos (quatro Estados / IES pólo) com quatro coordenadores de pólos e uma coordenação geral.
 
Os representantes de cada IES associada - coordenarão as atividades no interior de cada IES, manterão cadastros e registros do grupo de docentes da sua IES credenciados junto ao Programa de doutorado. Assumirão a função de orientação acadêmicas dos doutorandos de sua instituição. Sua comunicação está diretamente ligada ao coordenador estadual.
 
Os coordenadores Estaduais - Cada Estado terá uma IES COORDENADORA, que representará o respectivo Estado junto ao Colegiado do Programa. Essa IES deverá reunir condições de infra-estrutura para sediar a Secretaria Local e o Núcleo de Pesquisas do Estado no Programa. A definição da coordenação estadual será feita entre as IES participantes da REAMEC em cada Estado.
 
Os coordenadores de Pólo – Visando atender as exigências de localização geográfica, infra-estrutura administrativa, de ensino e de pesquisa foram criados quatro pólos acadêmicos, em quatro diferentes estados da região, cada qual coordenado pelo coordenador estadual que acumula função. Cabe ao coordenador de pólo fazer a gestão acadêmica e administrativa da execução das atividades do programa, que dizem respeito tanto aos docentes, quanto aos discentes.
 
O coordenador Geral - Terá uma sede, com coordenação geral que responderá pelo Programa junto a CAPES.
 
 
 
 
DINÂMICA DA REDE
 
Para a operacionalização das atividades acadêmicas, a REDE se constitui em quatro Polos Acadêmicos, que reúne doutores orientadores credenciados junto ao Programa. Para esses polos concorrem os candidatos, em número médio de 25 (vinte e cinco), para as atividades presenciais, como: disciplinas obrigatórias, exame de qualificação e defesa. Sempre que necessário, poderão sediar disciplinas eletivas (que deverão acontecer preferencialmente nos estados), seminários anuais de pesquisa (que poderão ser, presenciais no polo ou Estado, via teleconferência, ou eventos da área na região, previamente organizado para tal). O polo será responsável pela matrícula, documentação e registro da vida acadêmica do doutorando, pelos registros das atividades programadas e pelo controle acadêmico dos docentes. Para as atividades presenciais nos polos acadêmicos, os doutorandos deslocam-se em pelo menos dois períodos anuais, para cumprimento de programação presencial. Para esses períodos, preveem-se 03 meses de bolsa/ano para os doutorandos que se deslocam de sua cidade de residência e liberação de passagens pela IES de origem.
 
Para esses polos também se deslocam docentes doutores, para o cumprimento de atividades curriculares, sempre que necessário e após exame das demandas previamente coletadas pelos coordenadores estaduais e avaliadas, a cada semestre, pelo Colegiado do Programa.
 
Os polos acadêmicos articular-se-ão entre si e com a coordenação geral e com os doutorandos por meio de sistema eletrônico a ser criado. Programações coletivas poderão ser oferecidas por meio de vídeo conferências, uma vez que em cada Estado (à exceção de um, que se organiza para isso) existe estrutura adequada para uso dessa tecnologia.  Buscando criar uma ambiência de pós-graduação, em cada Estado, e estimular o estudo, a produção e a pesquisa, prevê-se a criação de um Núcleo de Pesquisa em cada Estado participante. Uma das exigências refere-se à organização/ampliação de acervo bibliográfico na área, garantindo possibilidades de leitura e debate de temáticas de interesse por doutorandos e docentes de cada Núcleo.