Publicações

Buscar Publicação

Buscar: Buscar por: Título Resumo Autor Palavra-Chave

Categoria:

ATITUDES E SABERES DOS FORMADORES DE PROFESSORES E ACADÊMICOS DE PEDAGOGIA ACERCA DA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

Autor: Dilene Kátia Costa Da Silva (Orientador: Prof. Dr. Nelson Antonio Pirola)

Categoria: Teses 2018

Palavras-chave: Formação de Professores. Pedagogia. Educação Infantil. Saberes e Atitudes em relação à Matemática.

Resumo:

Saberes Docentes e Atitudes em relação à Matemática de Professores Formadores e de Acadêmicos do Curso de Pedagogia em processo de Formação Inicial para atuação na Educação Infantil (EI) se constitui no objeto dessa pesquisa de caráter exploratório, com abordagem de cunho qualitativo. O embasamento teórico acerca da Formação Docente foram: Nóvoa (1995), Cury (2004), Brzezinsky (2010), Imbernón (2011), Fiorentini e Castro (2003), dentre outros, sobre Saberes Docentes, utilizou-se Shulman (1986), Tardif (2002) e Tardif e Raymond (2004) e quanto às Atitudes em relação à Matemática, recorreu-se a Gonçalez (1995; 2000), Brito (1996), Moron (1998), Pirola (2015), Tortora e Pirola (2012), Moraes e Pirola (2015), dentre outros. Elegeu-se como problema investigar: em que termos Saberes e Atitudes em relação à Matemática se apresentam na formação em Pedagogia, em Instituições de Educação Superior, no trabalho com a Matemática, na Educação Infantil? O locus foram duas IES públicas, com participação de 15 Acadêmicos de Pedagogia e 3 Professores Formadores. Os procedimentos metodológicos consistiram em: Análise Documental de dispositivos legais sobre Formação Docente, dos Projetos Pedagógicos dos Cursos (PPC) de Pedagogia e Planos de Curso dos Professores das IES e Análise dos instrumentos: Escalas de Atitudes e Questionários. Os resultados quanto à Formação Inicial à docência na EI foram: o Amapá apresenta menor número de professores adequadamente formados na Região Amazônica; na análise dos PPC das IES, notaram-se poucas disciplinas teórico-práticas, voltadas à EI e à Matemática, com ínfima carga horária. Na análise dos Planos de Ensino, em seus conteúdos programáticos sobre conhecimentos matemáticos, a Educação Infantil merece alguma atenção, mas não se vê como suficiente para munir o acadêmico do Curso de Pedagogia, com elementos teórico-metodológicos consistentes para o trabalho com a Matemática, na EI. Quanto aos Saberes Docentes 6 Acadêmicos relatam que os saberes adquiridos no Curso pouco contribuíram para atuação na EI, com a Matemática, enquanto os 9 revelam boas aquisições à futura docência nas Creches e em Pré-Escolas. Os Formadores, apontam a importância do domínio dos conhecimentos matemáticos por parte dos Acadêmicos; unanimemente indicam uso de materiais concretos para um aprendizado significativo dos conhecimentos matemáticos; revelam a superação da falta de formação para a EI, bem como vários fundamentos teórico-metodológicos utilizados em suas aulas, abordando aspectos pertinentes à docência na EI. Quanto aos resultados sobre Atitudes em relação à Matemática 3 Formadores e 8 Acadêmicos têm atitudes positivas e 7 Acadêmicos apresentam atitudes negativas. Frente aos resultados, defende-se a tese de que Atitudes e Saberes relativos ao ensino de Matemática se constituem como aspectos necessários a serem mediados/enfocados pari passu na formação inicial, especificamente entre Formadores de Professores e Acadêmicos de Pedagogia, visando melhor estruturação de conhecimentos e habilidades no processo de formação à docência na Educação Infantil. Assim, os resultados desta tese podem auxiliar na promoção de reflexões no âmbito dos Cursos de Pedagogia das diversas IES e o estabelecimento de políticas públicas promotoras da melhoria da Formação Inicial dos futuros docentes do processo inicial da Educação Matemática, junto aos bebês e crianças da Educação Infantil. 

Download: Clique aqui para realizar o download

PROVA BRASIL E OS PROCESSOS DE ENSINO-APRENDIZAGEM DE CONTEÚDOS CURRICULARES DE MATEMÁTICA DO ENSINO FUNDAMENTAL: ATUAÇÃO DA COORDENADORA PEDAGÓGICA DE UMA ESCOLA PÚBLICA NA CIDADE DE MANAUS

Autor: Derlei Maria Correa de Macedo Dantas (Orientador: Prof. Dr. Jair Lopes Junior)

Categoria: Teses 2018

Palavras-chave: Ensino-aprendizagem de Matemática. Coordenadora pedagógica. Conhecimentos profissionais. Prática pedagógica.

Resumo:

A presente pesquisa diz respeito ao tema Avaliação Nacional do Rendimento Escolar (ANRESC–Prova Brasil), cujas unidades escolares têm acesso de modo censitário e bianual a conjuntos de medidas de desempenho dos seus alunos através de provas de conteúdos curriculares de Língua Portuguesa e de Matemática. Neste estudo foram investigados os conhecimentos e as metodologias da Coordenadora Pedagógica que poderiam favorecer e ampliar a função diagnóstica dos resultados da avaliação de Matemática da Prova Brasil. A pesquisa foi realizada em uma escola da rede municipal de Manaus que apresenta os resultados do Indice de Desenvolvimento da Educação Básica - IDEB acima da meta [nacional/estadual] prevista. As investigações fundamentaram-se em uma proposta metodológica qualitativa. A constituição do corpus empírico deu-se em entrevistas consecutivas semiestruturadas com três participantes. As análises dos dados apontaram que, embora os relatos indiquem diferentes modalidades de recursos diretamente vinculados à obtenção dos desempenhos positivos nas provas, bem como a redução significativa de evasão, foram identificadas restrições quanto ao âmbito formativo proporcionado nas interações cotidianas, especialmente em termos da compreensão mais ampliada de dimensões relevantes dos descritores presentes nas Matrizes de Referência. Os relatos evidenciaram que, a despeito dos elevados valores de IDEB registrados, a escola sustenta uma redução no incremento de tais valores, considerando as quatro últimas versões da Prova Brasil, bem como às atualizações aos materiais oficiais fornecidos como estratégias de preparação dos alunos. De modo acentuado e reinicidente, foram constatadas restrições quanto às explicações e as exemplificações de conhecimentos profissionais definidos por interpretações pedagógicas do alcance dos descritores em termos do planejamento de interações em sala de aula. Diferentemente constatou-se a prioridade na execução de exercícios e de padrões previsíveis de resolução como estratégias para aprendizagem dos descritores e, ainda, conforme a coordenadora pedagógica configura-se pertinente e relevante a proposição de programas de formação inicial e continuada para subsídios na promoção da Prova Brasil. 

Download: Clique aqui para realizar o download

MOVIMENTOS E PROCESSOS DE DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL CONTÍNUO NA RELAÇÃO ESCOLAUNIVERSIDADE- ESCOLA: ANÁLISE DE UMA PRÁTICA REALIZADA NO OESTE DO PARÁ

Autor: Cláudia Silva de Castro (Orientador: Prof. Dr. Licurgo Peixoto de Brito)

Categoria: Teses 2018

Palavras-chave: Desenvolvimento profissional contínuo. Educação científica. Narrativa polifônica. Pesquisa-ação colaborativa. Escola-universidade-escola.

Resumo:

A investigação está situada nas discussões sobre a formação contínua em contexto e o desenvolvimento profissional por meio de práticas em colaboração entre a escola e a universidade. As ações desenvolvidas no âmbito da pesquisa decorrem do projeto institucional da Universidade Federal do Oeste do Pará – UFOPA, ligado ao Programa Novos Talentos/CAPES, mediante a parceria com uma escola da rede pública estadual em Santarém-PA, por meio do Programa Ensino Médio Inovador/ProEMI. Temos como questão central da investigação: Que elementos norteadores para a construção de práticas de formação em contexto emergem dos processos de Desenvolvimento Profissional Contínuo na relação escola-universidade-escola? O objetivo geral consiste em investigar processos de Desenvolvimento Profissional Contínuo em práticas de formação em contexto por meio da parceria e colaboração entre a escola e a universidade, convergindo para a constituição do Grupo de estudo e pesquisa na escola. Os pressupostos teóricos da pesquisa são pautados em Ivor Goodson, Michael Fullan, Marcelo Garcia, António Nóvoa, Dário Fiorentini, António Cachapuz, Christopher Day, e outros, que discutem a formação docente como processo de desenvolvimento profissional. Adotamos a pesquisa qualitativa na perspectiva da pesquisa-ação colaborativa com base em Jhon Elliot, Graça Mizukami, Ivana Ibiapina e Júlio Diniz-Pereira. A investigação se dá a partir de um conjunto de atividades de estudo-formação sobre Políticas Educacionais e no desenvolvimento de projetos integradores para a Iniciação Científica na escola. Consideramos como recorte temporal da pesquisa o período situado entre 2014-2017. As ações foram desenvolvidas por meio de um trabalho articulado incluindo ciclos de formação, Grupos de estudo e pesquisa na escola, na interface com a universidade, reuniões de estudo e planejamento, encontros coletivos de formação, dentre outros. Os participantes da pesquisa são docentes, técnicos educacionais, gestores, colaboradores de outras instituições. O corpus analisado consistiu-se de registros em áudio, vídeo, anotações em caderno de campo, depoimentos, entrevistas narrativas e materiais produzidos ao longo das ações (projetos, relatórios, relatos etc.), os quais foram organizados em um Inventário de Pesquisa. Para a análise nos pautamos nos ciclos da Análise Textual Discursiva e adotamos na elaboração do metatexto a escrita narrativa polifônica. Identificamos que os processos de aproximação e distanciamento entre a escola e a universidade são produzidos ao longo do percurso de formação e atuação profissional, com origem tanto na escola, quanto na universidade. Na escola os distanciamentos se dão na inserção profissional na docência, nos estágios, nos projetos institucionais, e em articulações interinstitucionais, também produzidas na universidade. Esta, por sua vez, também produz distanciamento nas disciplinas específicas do currículo da graduação. Identificamos como espaços de aproximação a articulação entre a formação, inicial e continuada, e a atuação profissional, além dos programas institucionais com a participação de profissionais da escola. No processo de constituição de parceria e de criação do Grupo de estudo e pesquisa na escola, identificamos como mobilizadores de aproximação entre a escola e a universidade fatores como: interesses e necessidades da instituição escolar, elementos das Políticas Educacionais e convergências entre a escola e a universidade em termos de ações e potencialidades da formação contínua em contexto. Os estudos em torno das Políticas Educacionais desencadearam aprendizagens em torno da dimensão pedagógica, dos domínios curriculares, da visão crítica das políticas em contexto, além de despertarem motivações para a aprendizagem, valores e virtudes profissionais. O trabalho com projetos de Iniciação Científica propiciou a integração de sujeitos, processos e ações pedagógicas, reconstrução de processos de aprendizagens, mobilização e renovação da aprendizagem profissional, desenvolvimento de atitudes, valores, virtudes e visão prospectiva, além de valorização e fortalecimento profissional e institucional. Diante dos achados da investigação defendemos que: As práticas de formação em contexto, particularmente em forma de Grupo estudo e pesquisa na escola, em parceria e colaboração entre a escola e a universidade constituem-se um caminho promissor para o desenvolvimento da relação escola-universidade-escola. Esta relação se fortalece e se torna exitosa, na medida em que ambas as instituições assumam a parceria e a colaboração, a Iniciação Científica ampliada e integradora e o Desenvolvimento Profissional Contínuo como aspectos formativos a fim de propiciar aproximações e (trans)formações pessoais, profissionais e interinstitucionais. Constitui-se na perspectiva cíclica e contínua tendo como elementos centrais: a (trans)formação, a inovação, a dimensão axiológica e a continuidade. Compreendemos que esta investigação pode contribuir para: a) estudos e práticas de colaborativas de formação contínua em contexto; b) políticas de formação na articulação entre a escola e a universidade; c) desenvolver a educação científica ampliada e integradora, envolvendo os diferentes profissionais do coletivo escolar e das diversas áreas de conhecimento em torno de práticas de educação científica interdisciplinares, d) criar espaços interinstitucionais favoráveis ao fortalecimento das dimensões pessoais/profissionais e instituicionais sob múltiplas perspectivas e e) promover a integração dos diferentes excedentes de visão dos profissionais da escola e da universidade em torno do campo das práticas escolares e das Políticas Educacionais, do campo teórico da formação docente e científica e dos processos de ensino e aprendizagem na escola.

Download: Clique aqui para realizar o download

APRENDIZAGEM COLABORATIVA: UMA PROPOSTA METODOLÓGICA DE CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO EM QUÍMICA ORGÂNICA

Autor: Ataiany dos Santos Veloso Marques (Orientadora: Profa. Dra. Edna Lopes Hardoim)

Categoria: Teses 2018

Palavras-chave: Proposta Metodológica. Aprendizagem Colaborativa. Química Orgânica.

Resumo:

 A presente pesquisa apresenta o seguinte problema científico: Como o desenvolvimento de uma proposta metodológica de Aprendizagem Colaborativa (AC) para o ensino dos conceitos de cadeias carbônicas contribui no processo de ensino aprendizagem na disciplina de química para alunos do 3º ano do Ensino Médio Integrado? E defende a tese de que: “A proposta metodológica aprendizagem colaborativa, pode contribuir para o processo de ensino aprendizagem do conteúdo de cadeias carbônicas, promovendo uma postura ativa do estudante, o colocando como protagonista do seu processo de aprendizagem, favorecendo também o seu desenvolvimento individual e social”. Neste sentido buscamos levantar, construir, implementar e avaliar uma proposta metodológica de ensino para o conteúdo de cadeias carbônicas, na disciplina de química do curso Técnico em Informática do Instituto Federal do Amazonas - IFAM/Campus Parintins, localizado no município de Parintins no estado do Amazonas. Caracteriza-se como uma pesquisa de natureza qualitativa, tem como objeto de estudo o processo ensino aprendizagem de cadeias carbônicas para alunos do curso de informática a partir da aprendizagem colaborativa, a pesquisa foi delineada a partir do Estudo de Caso. A coleta de dados foi realizada por meio de entrevista com professores, observação no desenvolvimento da proposta metodológica, questionário aplicado aos estudantes e documentos regulares (atividades) dos mesmos. Como resultado dos dados coletados podemos dizer que a Aprendizagem Colaborativa contribui para aprendizagem do conteúdo de cadeias carbônicas, proporcionou melhor interação entre aluno-aluno e aluno-professor, contribui no desenvolvimento de habilidades sociais e futuras interações profissionais em grupo, promoveu uma postura ativa do estudante, o colocando como protagonista do seu processo de aprendizagem. Também constatamos que uma parte dos alunos, sujeitos da pesquisa, ainda optam pelo método de transmissão do conteúdo de cadeias carbônicas. Constatamos que para a docente a proposta metodológica contribuiu para o processo de ensino aprendizagem, trouxe melhor interação entre os alunos, ajudou na aprendizagem dos estudantes com dificuldades, motivando sua participação nas atividades. Percebemos também, que alguns estudantes são individualistas, competitivos, estando totalmente focados em ter o melhor ensino para que os mesmos obtivessem os melhores resultados nos exames de vestibular.

Download: Clique aqui para realizar o download

ENSINO E APRENDIZAGEM DA MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO ESCOLAR INDÍGENA PAITER SURUÍ

Autor: Antonio Ferreira Neto (Orientador: Prof. Dr. José Roberto Linhares de Mattos)

Categoria: Teses 2018

Palavras-chave: Aprendizagem Significativa. Etnomatemática. Educação Escolar Indígena. Paiter.

Resumo:

Esta pesquisa visa analisar, a partir da Teoria da Aprendizagem Significativa de Ausubel e da dinâmica desenvolvida pelo Programa Etnomatemática, de D’Ambrosio, o processo de ensino e aprendizagem dos conteúdos didáticos de Matemática nas escolas de educação básica dos Paiter Suruí. Busca, ainda, investigar os métodos didáticos e pedagógicos desenvolvidos nas aldeias e verificar se esses se dão de maneira contextualizada ao cotidiano da comunidade indígena e se apropriam-se dos saberes transmitidos de geração a geração, fazendo com que o ensino de Matemática se torne significativo e funcione como um instrumento para a manutenção da cultura Paiter. Para tanto, inicia-se apresentando algumas pesquisas relevantes sobre os Paiter, que discorrem sobre o ensino da Etnomatemática nas aldeias, de forma a identificar como o tema tem sido tratado nos meios acadêmicos e que reforçam a lista dos problemas identificados nas escolas dessas comunidades quanto à necessidade de se investir em um ensino adequado aos indígenas. A pesquisa tem caráter qualitativo e, a partir disso, optou-se por realizá-la fundamentada nos eixos teóricos da etnografia, da moderna história oral, da observação participante e das narrativas, por meio da realização de entrevistas. Possui contribuições acadêmicas e sociais, visto que proporciona melhor compreensão dos conhecimentos matemáticos dos Paiter e da didática utilizada por eles, bem como aproxima a universidade das populações indígenas, fortalecendo a luta por uma educação pública de qualidade, bilíngue e específica. Da análise dos dados, quanto ao uso da Etnomatemática nas atividades desenvolvidas pelas comunidades indígenas: artesanato, construção de malocas e grafismo, verificou-se ser este um elemento fundamental para que o processo de ensino e aprendizagem dos estudantes indígenas ocorra de forma significativa, resultando na necessidade premente de que os órgãos pertinentes ampliem o número de docentes indígenas devidamente formados, bem como promovam a elaboração de um currículo diferenciado, que seja capaz de contemplar a educação escolar indígena, por meio dessa metodologia.

Download: Clique aqui para realizar o download